O cego de Betsaida — o que eu pensava não importa mais! (Marcos 8:23b)



Nós gostamos demais das nossas ideias. Muitas vezes nos vemos sendo bastante ferrenhos nas argumentações em defesa daquilo que temos por verdade, ou pelo menos advogando a perspectiva a qual estamos percebendo essa verdade — isso é bastante normal. Porem, é sábio sempre estar disposto para mudar de ideia, principalmente quando encontramos uma melhor do que a nossa.

“…Então cuspiu nos olhos do homem e, impondo-lhe as mãos, perguntou: — Você vê alguma coisa?“ (Marcos 8:23b)

O texto acima, do evangelista Marcos, nos apresenta um dos três — ou seriam quatro? — cegos curados milagrosamente por Jesus que são apresentados nos evangelhos, identificado como o relato do cego de Betsaida. Um dos diversos detalhes sobre esta cura que nos chamam a atenção é justamente a parte que destacamos, onde Jesus cospe nos olhos do cego. Com um olhar inicialmente despretensioso podemos imaginar a cena no mínimo grosseira e repugnante para nossos padrões ocidentais. Porem, logo percebemos que esse detalhe fazia parte do processo de restauração da visão a qual o Salvador conduzia.

Partindo do pressuposto que as curas de Jesus não eram operações divinas isoladas, mas faziam parte de um um contexto maior — afinal, o reino de Deus era chegado! As profecias tinham se cumprido! —, facilmente podemos concluir que aquela maravilha era parte de um método pedagógico para a compressão de uma verdade eterna ainda maior: o evangelho de Jesus que restaura a visão espiritual.

Não há nada mais profundo, esclarecedor, e profundamente belo de se enxergar do que o evangelho. Entretanto, podemos facilmente admitir que este evangelho nos chega “cuspindo nos olhos”. Somos abençoados hoje através daquilo que julgávamos grosseiro ou repugnante — quem sabe você já teve até nojo do evangelho. Mas o evangelho — faça a ligação com nosso parágrafo inicial — destruiu as nossas melhores ideias. Jesus não apenas nos tocou. Aquilo que saiu da boca do salvador abriu nossos olhos, nos deu entendimento, mudou toda a nossa visão sobre as verdades eternas de Deus. Aleluia!

Postagem Anterior Próxima Postagem